Saltar para o conteúdo

Quais são os tipos de obsolescência programada?

A obsolescência programada refere-se ao tempo em que um produto, normalmente do tipo tecnológico, eletrônico ou eletrodoméstico, deixará de funcionar por ter sido fabricado intencionalmente para ter uma vida útil ou tempo de uso específico. Não é que tenham surgido defeitos devido ao uso, esses defeitos que surgem são conhecidos antecipadamente pelo fabricante, do dispositivo ou de qualquer parte dele. Além de garantir que a falha ocorra após um tempo ou número de usos, a obsolescência programada também leva em consideração que não há peças de substituição ou que o reparo é mais caro do que um novo dispositivo. Com tudo isso, o que se pretende é que tenhamos que renovar de vez em quando, em um tempo controlado e programado, quase todos os aparelhos que comprarmos.

A obsolescência programada pode incluir o suporte físico do dispositivo (componentes, chips, sistemas mecânicos) bem como o software. Muitos utilizadores de smartphones ou tablets sabem que chega a um momento em que o dispositivo não consegue mais atualizar o seu sistema operacional e que deixa de funcionar ou começa a falhar.

A obsolescência programada é um procedimento considerado antiético, pois externamente pode parecer de boa qualidade apesar de já ter vindo de fábrica com aquela “programação” para falhar, geralmente um componente insubstituível ou reparável. Por outro lado, também é verdade que a redução dos custos de produção de certos bens e os seus baixos preços de venda fazem com que o utilizador aceite o facto de, por assim dizer, o que acaba de comprar tem os dias contados. Embora isso seja válido apenas para pequenos eletrodomésticos. Na verdade, de acordo com dados de 2019 do Eurobarômetro, cerca de 80% da população europeia acredita que os fabricantes de tecnologia devem ser obrigados a poder consertar dispositivos e a ter peças  de substituição para eles.

A isto, temos que adicionar a consciência ambiental. O facto de o aquecimento global preocupar tanto socialmente como politicamente e de termos consciência do efeito direto que a nossa forma linear de consumir (fabricar-consumir-deitar fora) tem sobre a emissão de gases de efeito estufa. Isso levou a iniciativas para criar regulamentações que façam frente à obsolescência programada. Foram iniciadas propostas desde o Parlamento Europeu para legislar sobre a obrigação dos fabricantes terem peças de substituição e que o processo de fabricação permita a reparação de dispositivos eletrônicos. Esta iniciativa foi denominada “Direito de reparar”. Propõe-se a inclusão de uma etiqueta com o índice de reparabilidade em dispositivos eletrônicos; pode ser semelhante ao rótulo de consumo de energia.

Esta forma de produzir-usar-reparar está mais de acordo com os novos modelos de economia circular baseados na conceção do produto a ser fabricado, feito de forma a poder ser reutilizado, reparado e que todas as suas partes possam ser recicladas. É um procedimento que visa a reduzir a entrada de matéria-prima no sistema produtivo, reduzindo custos (energia, água, etc.) e favorecendo uma indústria mais sustentável.

Na Eurotransis há anos que temos vindo a cumprir os compromissos com os nossos clientes, ajustando-nos às exigências, verificando o processo de produção e seguindo um rígido controlo de qualidade. Por esta razão, juntamente com os nossos valores de experiência, inovação … faz-nos posicionar totalmente contra a obsolescência programada.

Compartir:
Otras entradas:
Roltia

Errores comunes al seleccionar rodillos transportadores y cómo evitarlos

A obsolescência programada refere-se ao tempo em que um produto, normalmente do tipo tecnológico, eletrônico ou eletrodoméstico, deixará de funcionar por ter sido fabricado intencionalmente para ter uma vida útil ou tempo de uso específico. Não é que tenham surgido defeitos devido ao uso, esses defeitos que surgem são conhecidos antecipadamente pelo fabricante, do dispositivo … Ver más

Blog categoria
Ver más
Roltia

El papel de la inteligencia artificial en la optimización de procesos de fabricación de rodillos industriales

A obsolescência programada refere-se ao tempo em que um produto, normalmente do tipo tecnológico, eletrônico ou eletrodoméstico, deixará de funcionar por ter sido fabricado intencionalmente para ter uma vida útil ou tempo de uso específico. Não é que tenham surgido defeitos devido ao uso, esses defeitos que surgem são conhecidos antecipadamente pelo fabricante, do dispositivo … Ver más

Blog categoria
Ver más
Roltia

Tecnologías de inspección y control de calidad en la producción de rodillos industriales

A obsolescência programada refere-se ao tempo em que um produto, normalmente do tipo tecnológico, eletrônico ou eletrodoméstico, deixará de funcionar por ter sido fabricado intencionalmente para ter uma vida útil ou tempo de uso específico. Não é que tenham surgido defeitos devido ao uso, esses defeitos que surgem são conhecidos antecipadamente pelo fabricante, do dispositivo … Ver más

Blog categoria
Ver más
Roltia

Soluciones sostenibles: Nuestro compromiso con la fabricación ecológica de rodillos industriales

A obsolescência programada refere-se ao tempo em que um produto, normalmente do tipo tecnológico, eletrônico ou eletrodoméstico, deixará de funcionar por ter sido fabricado intencionalmente para ter uma vida útil ou tempo de uso específico. Não é que tenham surgido defeitos devido ao uso, esses defeitos que surgem são conhecidos antecipadamente pelo fabricante, do dispositivo … Ver más

Blog categoria
Ver más